GIL GOMES

POR ONDE ANDA ?

Atualmente está na Rádio Record AM (1.000 kHz - São Paulo/SP)
Visite: http://www.radiorecord.com.br/


BREVE HISTÓRICO:

Paulistano do bairro do Jabaquara, zona sul de São Paulo, Gil Gomes nasceu no dia 13 de junho de 1940 numa família pobre. Na infância vendia balas e santinhos na porta da Igreja de São Judas Tadeu, onde mais tarde foi aceito como congregado mariano.

Sofria de gagueira e para superá-la tentava imitar os locutores esportivos que ouvia pelo Rádio. O método funcionou graças, segundo afirma, a sua força de vontade. Foi, então, convidado a ser locutor nas quermesses da igreja e descobriu que a comunicação era sua vocação. Abandonou assim a idéia de ser médico, como desejava seu pai.

Numa dessas quermesses recebeu aos 18 anos o convite para seu primeiro emprego na Rádio Progresso, como locutor esportivo. Na mesma função, passou por vários Rádios da Capital e do interior paulista até chegar à Rádio Marconi.

Quando a Rádio Marconi parou de fazer coberturas esportivas, Gil Gomes passou a integrar o departamento de jornalismo da emissora cuja chefia assumiu no final dos anos 60.

Na mesma Rádio trabalhava Ana Vitória Vieira Monteiro, com quem Gil Gomes se casou e teve três filhos: Guilherme Gil, Daniel e Vilma.

E como surgiu o repórter policial, você sabe ?
Um incidente ocorrido em 1968 fez nascer acidentalmente o repórter policial Gil Gomes.

Ele realizava entrevistas pelo telefone com políticos, quando tomou conhecimento que um caso de agressão sexual estava ocorrendo no edifício onde a Rádio estava instalada. Num impulso, resolveu fazer a cobertura do caso ao vivo. Desceu as escadas do prédio com o microfone na mão, fazendo locução e entrevistando os envolvidos e as testemunhas.

A Rádio Marconi obteve uma audiência recorde com essa cobertura e Gil Gomes concluiu que um programa policial ao vivo era o caminho a seguir.

Mas foi um caminho difícil, o regime militar não tolerava críticas ao trabalho da polícia. Para agravar a situação, a Rádio Marconi já era visada pelas autoridades por adotar, em seu noticiário, uma linha de oposição ao governo.

Várias vezes – mais de trinta, conforme afirma Gil Gomes – ele e sua equipe foram presos e a Rádio retirada do ar. De todas as prisões, conseguiu se safar sem maiores conseqüências por conta de sua amizade com policiais.

Mas não só as autoridades o hostilizavam. Ao colaborar, com sua equipe, na elucidação de crimes, passou também a sofrer ameaças de morte de bandidos.

Gil Gomes também passou pelas Rádios Record, Globo e foi repórter do extinto programa de TV “Aqui Agora”, no SBT. Esteve também na Rádio Tupi AM (1.150 kHz - São Paulo/SP), emissora pertencente a Rede CBS.

Voltar